Conheça os novos biocurativos que curam feridas crônicas com mais de 40 anos

Milhões de pessoas no mundo sofrem com feridas crônicas causadas por males como a diabetes, pressão alta e muitos outros.

Pensando nisso, a pesquisadora da Unesp de Botucatu, Elenice Deffune, estuda novas tecnologia em biocurativos.

Ela, em conjunto com seus orientados, desenvolveu um gel utilizando plaquetas sanguíneas que, aplicado a um biocurativo, regenera feridas crônicas que já duravam anos, as vezes décadas.

O trabalho é inédito e foi patenteado pela Unesp, através de sua agência de inovação, a AUIN.

No processo inovador, Deffune utiliza plaquetas sanguíneas de doadores de sangue do Hemocentro do Hospital das Clínicas de Botucatu, aproveitando um material biológico que, de outra forma, seria descartado